quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Amador de Arimathéa


Amador de Arimathéa é o terceiro ocupante da Cadeira II. Eleito na sucessão de Augusto Estelita Lins. Tomou posse em 25 de junho de 2009, ocasião em que foi saudado pelo acadêmico Fagundes de Oliveira.

Nasceu em 25 de janeiro de 1935, em Anápolis, Goiás. Veio para Brasília em 1958. Formado em Educação Física e Direito. Militar do Exército. Professor, advogado e escritor-historiógrafo.
Expedicionário da “United Nations Emergence Force”, da ONU, na Faixa de Gaza, na Palestina, Oriente Médio, em 1961 / 1962.

Entidades Literárias que pertence:
• Academia de Letras de Brasília, titular da Cadeira II.
• Academia Maçônica Internacional Letras, de Lisboa, Portugal, Cadeira nº 5.
• Academia de Letras, Ciência e Artes do Grande Oriente do Brasil, Cadeira nº 8 – Acadêmico Fundador.
• Academia Maçônica de Letras do Distrito Federal – Cadeira nº 37.
• Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal – Cadeira nº 90.
• União Literária Anapolina (ULA) Anápolis, Goiás.
• Associação Nacional de Escritores – ANE, Brasília-DF.
• Clube dos Compositores do Brasil, com sede em São Paulo.

Escritor profícuo, Amador de Arimathéa é o primeiro autor do Centroeste brasileiro a ter uma obra traduzida para a língua árabe, com lançamento em Beirute, Líbano, em 2009.

Mantém intensa produção literária, e já publicou os seguintes livros:
• A Quem Interessar Possa... Anápolis: Gráfica e Editora Belo Horizonte Ltda, 1988;
• Causos do Meu Goyaz. Anápolis: Gráfica e Editora Belo Horizonte Ltda, 1985;
• Causos do Meu Goyaz. 2 ed. Anápolis: Gráfica e Editora Belo Horizonte Ltda, 1994;
• Vingança Consentida. Goiania: Editora Bom Tempo, 1998;
• A Pequena Grande Loja. – 2000;
• Pequena Grande Unidade – 6ª Cia de Guarda. Brasília StarPrint 2011;
• Rio dos Meus Amores... – 2006;
• ANÁPOLIS - Suas Ruas - Seus Vultos - Nossa História. Goiânia: Editora Bom Tempo, 2007;
• Caminhos de Um Imigrante – De Ain Ata a Brasília. Brasília: Starprint, 2009;
• Dos Cedros ao Cerrado. Brasília: Starprint, 2009;
• A Saga da Família Ferreira Dutra. Brasília: Starprint, 2011. Prontos para o prelo:
• Por que Matei Chico Mendes – O Reverso da Medalha;
• Os cincos Maiores Vultos de Anápolis.


Argemiro José Cardoso


Argemiro José Cardoso, membro fundador da Academia de Letras de Brasília, é o primeiro ocupante da Cadeira 1. Tomou posse em 6.12.1982. Goiano, natural de Goiandira, nascido a 22.12.1937, filho de Bernardo José Cardoso e Carolina Martins Cardoso, veio para Brasília em 1959. 

O acadêmico em epígrafe, poeta, prosador, conferencista, empresário, engenheiro, matemático, físico, filósofo e professor, é autor de 39 livros que abrangem tecnologia, biologia, sociologia, filosofia, e, claro, poesia, a seguir listados: O Ser Humano e a Sociedade; A Felicidade Tem Olhos Claros; A Educação – Égide da Liberdade; A Cultura e a Felicidade; Nos Páramos da Sensibilidade; Circuitos Magnéticos; Conversão Eletromecânica de Energia; Comunicações em V.H.F; Transformadores;
Engenharia de Iluminação; Esperando a Tua Chegada; Filosofia para vida – ensaios; O olhar da eternidade; Figuras da consciência; Homenagem ao Infinito; Geração de Energia Elétrica; Histórias
Infantis; Luminotécnica; Máquinas Elétricas; Pequenos Transformadores; Canção da Vida; O Símbolo do CONFEA; Origem e Desenvolvimento dos Seres Vivos; Argumentos Poéticos; No Prado da Eternidade; Poemas Pro Teu Eu; Poemas de Saudade; Poemas Confidenciais; Poemor – poemas com amor; Deus - Uma Abordagem Poético Filosófica; Monumentos de Brasília; Caminhando com minha mãe; O ser e a arte; Etegeanidade I; Etegeanidade II; Etegeanidade III; Etegeanidade IV; Ensaios Filosóficos; Instalações Elétricas; E Deus criou a rosa.



Além destes livros, ele é autor de 46 ensaios e escritos de cunho filosófico: Do símbolo à profundidade da essência; A tridimensionalidade do ser; O significado do ser humano; O ser humano esse sub-vivente social; O olhar da eternidade; Morfologia do contentamento; Lembrança: a memória da amargura; Saudade: a memória da felicidade; O ser e a realidade; A cultura na obtenção e usufruto da felicidade; Conhecimento e sabedoria; A arte e a vida; Deontologia profissional; A morte:
a maior e melhor experiência definitiva; Deus gosta de matar; As alianças de Deus; Você constrói a sua alma e ela morre com você; A luz e a vida; A poesia; A quarta dimensão do ser; O hóspede e a hospedaria: uma metáfora da atuação do tempo; A história dos deuses; Arte, ciência e filosofia; Os males da vida; A beleza e a felicidade; O ser e a hipocrisia; Ética, dianoética, moral e decência; Amor; Olhar, ver e enxergar; Sentir, pensar e construir; Livre-se das amarras; Não perpetue o seu algoz; Goianidade ; Sincronicidade; Ferramenta social: a metáfora da utilidade humana; Escutar, ouvir e caracterizar; O relacionar com o transcendente; Ecologia; A autogestão de cada um;
Espera, esperança, desespero; O bolo social, uma metáfora da sociabilidade; Não é necessário ser alto para se enxergar o longe; A mesa de sustentação da sua vida; Figuras da consciência;
Tridimensionalidade do ser; Monumentos de Brasília. 


Este acadêmico é membro das seguintes entidades de cunho cultural:
• Academia de Letras de Brasília, fundador e titular vitalício, desde 6 de dezembro de 1982, da Cadeira 1, patroneada por Esaú Marques Guimarães;

• Academia Taguatinguense de Letras, titular da Cadeira 35;
Academia de Letras e Música do Brasil, titular da Cadeira 11;
• Academia Pirenopolina de Letras, Pirenópolis, Goiás, titular da Cadeira 28;
• Academia Tocantinense de Letras, Palmas, Tocantins;
• Academia Tecnológica de Arte do Brasil, da qual é presidente;
• Casa do Poeta Brasileiro, Formosa, Goiás, titular da Cadeira 1;
• Casa do Poeta Brasileiro no Distrito Federal;
• Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, titular da Cadeira 2;
• Sociedade Brasileira dos Homens de Letras;
• União dos Trovadores do Distrito Federal;
• Ocupante de cadeira em duas entidades literárias estrangeiras, uma na França e outra em Portugal
• Argemiro José Cardoso tem ou teve funções relevantes e participação ativa nas seguintes organizações:
• Diretor Cultural do Clube de Engenharia de Brasília;
• Primeiro presidente da Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas, departamento do Distrito Federal, da qual é membro fundador;
• Membro do Conselho Técnico de Preservação de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade;
• Presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundários;
• Presidente da União Goiana dos Estudante;
• Presidente, durante 11 anos, da Comissão Nacional de Concursos Literários da Imprensa Nacional;
• Membro do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Distrito Federal, do qual foi Conselheiro durante doze anos;
• Conselheiro do Departamento de Estrada de Rodagem do Distrito Federal;
• Sindicato dos Engenheiros do Distrito Federal, do qual foi fundador e em que ocupou os cargos de Conselheiro, Secretário e Vice-Presidente;
• Sindicato dos Escritores do Distrito Federal. Condecorações e distinções:
• Medalha do Mérito de Brasília, no grau de Cavaleiro, concedida pelo Governador do Distrito Federal, por valiosos serviços prestados ao Distrito Federal;
• Comendador da Ordem do Mérito Cultural de Santo Amaro, São Paulo;
• Homenagem Especial (Placa de Prata) de Pioneiro do SAI – Setor de Indústria e Abastecimento;
• Moção de Louvor, concedida pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, por Relevantes Serviços;
• Sócio Benemérito nº 1 da Associação de Imprensa de Brasília;
• Sócio Benemérito nº 1 da Associação dos Servidores do Banco de Brasília;
• Considerado Intelectual do Ano de Brasília, durante 11 anos seguidos;
• Personalidade em Poesia e Prosa do DF, em 1983;
• Paraninfo de seis turmas de formando em Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília – UnB.

Foi o fiscal técnico da montagem eletro-mecânica da primeira usina que enviou água potável para Brasília. Primeiro chefe da Rede Subterrânea de Alta Tensão do Distrito Federal. Primeiro
dirigente e organizador do órgão de controle de consumo e operação das usinas disponíveis destinadas ao suprimento de energia elétrica ao Distrito Federal (Despacho de Carga),
sendo responsável, inclusive, pelo racionamento de energia, frequentemente ocorrido, na década de 60, no Distrito Federal.

Pioneiro, em fevereiro de 1960, foi admitido pela NOVACAP no DAE – Departamento de Águas e Esgotos, onde dirigiu a fiscalização técnica eletromecânica na construção da Adutora do Torto, sendo, destarte, participante da equipe que enviou a primeira gota d’água para abastecer Brasília. No mesmo ano foi transferido para o DFL, embrião da atual CEB – Companhia Energética de Brasília, para, após estágios na PIRELLI – Fábrica de cabos subterrâneos de alta tensão – e visita a fábricas e a
redes elétricos em construção na Itália e nos Estados Unidos, bem como em São Paulo e Rio de Janeiro, como chefe de Serviço de Rede Subterrânea de Alta Tensão, transmitir a tecnologia
de emendas de cabos subterrâneos e subaquáticos à empresa então encarregada da construção da rede elétrica, bem como fiscalizar sua atuação. Assim, foi pioneiro na eletrificação de Brasília, sendo o primeiro chefe da área tecnológica de redes subterrâneas de alta tensão.

Em 1966, passou a integrar a assessoria do reitor da Universidade de Brasília - UnB, Laerte Ramos de Carvalho. Dois anos depois, ingressou no quadro de professores da mesma universidade, no
curso de Engenharia Elétrica, cargo que ocupou por 26 anos, até pedir sua aposentadoria.

Além de engenheiro, em que tem pós-graduação, Argemiro José Cardoso é formado em Matemática e Física.

É autor de mais de 180 projetos nas áreas de uso e distribuição de energia elétrica, iluminação, água e esgotos, telefonia e comunicações, em grandes edifícios de Brasília e em outras cidades, inclusive no exterior.

Argemiro José Cardoso é citado em:

• Estudos Literários de Autores Goianos, de Mário Ribeiro Martins;
• Escritores de Goiás, de Mário Ribeiro Martins;
• Dicionário Biobibliográfico de Goiás, de Mário Ribeiro Martins;
• Dicionário de Escritores de Brasília, de Napoleão Valadares.

José Carlos Gentili

José Carlos Gentili, porto-alegrense, nascido a 30 de maio de 1940, pioneiro de Brasília, advogado, jornalista, empresário, historiador, romancista, conferencista e poeta.
Tem mais de trinta obras publicadas, entre as quais Tempos de Versos (1983); Galo do Apocalipse (1985); Vôo Sideral (1991); Izabel Maria – Duqueza de Goyaz (1995); Quintal do Universo (1996); Um Quarto de Hora (1998); Patrimônio da Capela (2000); Agonia da Solidão (2002); Vastidão do Nada (2005); A Igreja e os Escravos (2006); Fiat Lux – Villa do Acarape, Precursora da Liberdade (2008); Estelo do Mipibu (2009); Orígen de las Almas (2009); José Carlos Gentili - Um cidadão do mundo (2010); Academia de Letras de Brasília: trinta anos de fundação (1982/2012) (coautoria com Romildo Teixeira de Azevedo e Tarcízio Dinoá Medeiros – 2012); Lagoa dos Cavalos (2012); Orígen de las Almas (2ª. ed., 2013); Universo do Verso (2015); A Infernização do Hífen (2015). E, ainda: Cultura de Alpendre; Aldeia do Bispo; Bolsa de Pastor; Terras de Lava; Os Bicentenários da Inconfidência Mineira e da Revolução Francesa. Na área jurídica, publicou Os Bancos de Dados na Sociedade de Consumo e o Código de Defesa do Consumidor (2008).
Também deu a lume poesias, ensaios e ficção em obras coletivas – da Academia de Letras de Brasília: Quintal do Universo; Galo Apocalíptico e A gala do Galo, in Galos da Academia. Coletânea (2013); Literatura e Insularidade: Registros Literários em Mendoza e Brasília, in Pan-americanismo Literário. Encontro Brasília-Mendoza (2013); Brazil – Que Paiz é Este, in Coletânea 2013; Arte de Furtar, in Coletânea 2014; Educação de um Povo: Transcendência Intelectual, in Coletânea 2015; – de outra entidade: O Nascimento, in Bar do Escritor – Tomo IV (2013).
Fez curso de inglês na Georgetown University. É diplomado pela International Police Academy (Washington, USA) e pela Border Patrol (Texas, USA). Tem estudos em Economia e em Matemática Superior pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e Curso de Direito em Brasília e Anápolis, onde, aliás, exerceu magistério superior. 
Ingressou nesta Academia em 10 de outubro de 1989. Foi seu Diretor-financeiro por dezessete anos e seu Presidente por oito anos.
Por seus relevantes serviços, em Assembleia Geral Ordinária, realizada a 30 de junho de 2016, foi-lhe dado o título honorífico de Presidente de Honra Perpétuo da Academia de Letras de Brasília. 
Integra a Academia das Ciências de Lisboa, como correspondente brasileiro; é Membro Patrono da Associação Internacional dos Colóquios de Lusofonia, com sede em São Miguel, nos Açores; e faz parte do Conselho-Geral do Museu da Língua Portuguesa de Bragança. 
Faz parte dos quadros, também, das seguintes outras entidades culturais – em Brasília: Casa do Poeta; Associação Nacional dos Escritores; Centro de Estudos Linguísticos da Língua Portuguesa; Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal; – em Natal: Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.
Foi o criador e o primeiro presidente da Academia Maçônica de Letras do Distrito Federal; e, também, presidente do Clube dos Pioneiros de Brasília.
É verbete no Dicionário de Escritores de Brasília, de Napoleão Valadares (2012).  
E se autodefine como Apaixonado pela Capital da Esperança, pela Cultura e pela Educação!

Tarcízio Dinoá Medeiros



Tarcízio Dinoá Medeiros nasceu a 4 de agosto de 1939, em Patos, Paraíba, filho de Solon da Cunha Medeiros e Adiles Dinoá Medeiros. É Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, aposentado. Quanto à formação universitária é Economista. Fez cursos de extensão em Administração Aduaneira, na Escuela Interamericana de Administración Pública/Fundação Getúlio Vargas (onde apresentou monografia Zona Franca de Manaus - Rio de Janeiro, 1974), e em administração tributária - Seminar on Tax Administration (Sênior Course), pela JICA (em que foi palestrante sobre o tema Assistance to Tax Payers: the Brazilian Case - Tóquio, 1978).
Foi delegado do Brasil junto ao Groupe contre la Fraude Fiscale do Conseil de Coopération Douanière, em Bruxelas (1982). Convidado pelo Governo Alemão para visitar, em Sigmaringen, na estado de Baden-Württemberg, o Bildungszentrum des Bundesfinazverhaltung (Escola da Fazenda Federal), e a Aduana de Serviços Integrados, na fronteira Alemanha/Áustria (1982), e, depois, em Hanôver, na Baixa Saxônia, a Administração de Impostos Integrada – federal e estadual (1984). Convidado pelo Governo do Canadá para visitar a Direção Geral de Impostos, em Otawa, e a Diretoria Regional de Impostos de Hull, Provínvia de Québec (1988). Integrou a Delegação do Brasil no Grupo Luso-Brasileiro de Uniformização da Nomenclatura Alfandegária (Lisboa, 1989), e a Delegação do Brasil à Assembléia-Geral da Interpol, quando se tratou de Combate à Lavagem de Dinheiro, em Otawa (1990). Convidado pela CEPAL/ONU, foi palestrante no Seminário sobre a Evasião Fiscal na América Latina, em Santiago, Chile (1993). Convidado para participar, como palestrante, da Reunión para la Reforma del Servício de la Seguridad Social, com o tema Control de la recaudación y de los contribuyentes de la Seguridad Social, em San José de las Matas, República Dominicana (1997).
Delegado do Brasil junto ao Centro Interamericano de Administraciones Tributarias-CIAT, com sede na cidade de Panamá, participou de assembléias e reuniões técnicas sobre administração tributária em Caracas, Venezuela: Atendimento ao Contribuinte e Informática na Administração Tributária (1977); Buenos Aires, Argentina: Problemas de Arrecadação (1978); Brasília, Brasil: Convênios para Evitar Bitributação e para Intercâmbio de Informações (1988); Taipei, Taiwan: Incentivos Fiscais e Desenvolvimento (1991); Montego Bay, Jamaica: A tributação ante as Tendências da Economia Global (1992); Benalmádena, Espanha: Integração e Desenvolvimento (1992); Santiago, Chile: Ética na Administração Tributária (1993); San Carlos de Bariloche, Argentina: Tributação e Integração (1993); Quito, Equador: Fatores de Êxito para a Administração do Sistema Tributário (1994); Lima, Peru: Problemática do Combate à Corrupção na Administração Tributária (1995); Santo Domingo, República Dominicana: Impacto do Processo de Modernização na Administração Tributária (1996). Como consultor do CIAT, participou de assembléias e reuniões técnicas em Salvador, Brasil: A Tributação em um Contexto de Globalização Econômica (1998); Amsterdã, Países Baixos: Estrutura Organizacional e Gerência da Administração Tributária (1998); Porto, Portugal: A Tributação Frente às Relações Internacionais e à Utilização das Novas Tecnologias (1999).
Ingressou nesta Academia a 20 de agosto de 2009. É seu presidente no biênio 2016/2018.
Ensaísta, ficcionista, genealogista e historiador, publicou os livros: Tributos, Obrigações e Penalidades Pecuniárias de Portugal Antigo (1983); Em Busca do Ritmo (1984); Ramificações Genealógicas do Cariri Paraibano (1989); Breve Memória da Ilha dos Esquecidos e dos Usos e Costumes de Sua Gente (1989); Freguesia do Cariri de Fora (1990); Mensuração da Economia Informal e da Evasão Fiscal no Brasil (1993); Genealogia de uma Família do Seridó (2007); Discurso de Posse na Academia de Letras de Brasília (2009); Academia de Letras de Brasília: trinta anos de fundação (1982/2012) (coautoria com José Carlos Gentili e Romildo Teixeira de Azevedo – 2012); Coronel Mota: um colonizador do rio Branco (Roraima) (2013); Relato de 1632 de Frei Paulo do Rosário sobre a Primeira Invasão Holandesa na Paraíba (2013); Gallus: surgimento e evolução das línguas românicas (2014); As Viagens de Dom João Perdigão, Bispo de Olinda (2016); Índios: registros fotográficos (2016). Aguarda publicação: Tributos e sua Administração na História do Brasil (1500-2010).
Também publicou ensaios e palestras em obras coletivas – da Academia de Letras de Brasília: Galo, in Galos da Academia. Coletânea (2013); Brasília: suas ínsulas e penínsulas literárias, in Pan-americanismo Literário. Encontro Brasília-Mendoza (2013); Da Ubiquidade, in Coletânea 2013; Ropicapnefma: estranho título de um livro, in Coletânea 2014; Macunaíma? Não. Macunaima, in Coletânea 2015; – do Instituto de Estúdios Fiscales, de Madri: El Papel de la Política Tributaria en el Desarrollo Económico (1991); Informe sobre el Tema Soberanía Fiscal y Competéncias Administrativas como Consecuéncia de la Integración Económica (1993); – de outras entidades: Em memória de Gérson Augusto da Silva, in Tributação em Revista (Brasília, 2008); Louvação às Minhas Professoras do Curso Primário, in Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Patos (Patos, 2009).
Integra diversas outras entidades culturais. Como titular: Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal; Centro de Estudos Linguísticos da Língua Portuguesa (Brasília); Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica; Instituto Genealógico Brasileiro (S. Paulo); Associação de Pesquisadores de História e Genealogia - ASBRAP (S. Paulo). Como correspondente: Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba; Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte; Instituto Histórico e Geográfico de Patos.
É verbete no Dicionário de Escritores de Brasília, de Napoleão Valadares (2012).
Recebeu as seguintes honrarias: Medalha Pro Merito Melitense, concedida pelo Príncipe Grão-Mestre da Ordem Soberana Militar e Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta (Roma, 1981); Diploma de Sócio Honorário da APAE - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, de São Paulo, Pelos relevantes serviços prestados à causa do Excepcional Deficiente Mental (1980); placa In Recognition of Continued Cooperation in the Cause of International Narcotics Control, dada pelo United States Customs Service (1992); Placa de Reconocimiento outorgada pelo Instituto de Capacitación Tributaria de la Secretaría de Estado de Finanzas - República Dominicana (1997); Medalha de Mérito, no 35º aniversário de criação b da ASSAFAZ, por haver sido o primeiro presidente do seu conselho diretor; diploma de Honra ao Mérito por sua contribuição à cultura da Paraíba, concedido pela Academia Paraibana de Letras Jurídicas (2016).
Cavaleiro de Graça Magistral, é presidente da Associação dos Cavaleiros da Soberana Ordem Militar de Malta de Brasília e Brasil Setentrional, entidade ligada à Igreja Católica.

domingo, 6 de novembro de 2011

Programação

Veja a programação cultural do stand do Bar do Escritor na Feira do Livro, no site da feira.

sábado, 5 de novembro de 2011

Agenda

clique na imagem para ampliar.


30a Feira do Livro de Brasília


A Academia vai ao Bar... na Feira!


30 ª Feira do Livro de Brasília
A Academia vai ao Bar... na Feira!

AclebACADEMIA DE LETRAS DE BRASÍLIA

Adirson Vasconcelos
Amador de Arimathéa
Áureo Mello
Dilson Ribeiro
Romildo Azevedo
Fontes de Alencar
Adalberto Nóbrega
Iran de Lima
João Guimarães
Lindberg Aziz Cury
Tarcízio Dinoá Medeiros
William Carvalho
Zé Luiz de Moura Pereira
Fagundes de Oliveira
José Carlos Gentili

AltACADEMIA DE LETRAS DE TAGUATINGA

Gustavo Dourado
Stella Rodopoulos
José Orlando Pereira da Silva
Maria Félix Fontele
Pedro Gomes
Porfírio Magalhães
Sérgio Waldeck de Carvalho
Nara do Nascimento e Silva
Donato Epifânio de Oliveira
José Bezerra de Melo Filho
Aydson Oliveira Cruz

Bde – BAR DO ESCRITOR

Giovani Iemini
Cristiano Deveras
Marco Polo Haickel
Roberto Klotz
Alexandre Lobão
Larissa Marques
Cinthia Kriemler
Oswaldo Pullen
Basilina Pereira
Felipe Batista (Sonos)
Carolina Bacelar


As Academias de Letras de Brasília e Taguatinga reunir-se-ão ao Bar do Escritor na 30ª Feira do Livro de Brasília, de 11 a 20 de novembro, no pavilhão de exposição do parque da cidade.

No stand 219 haverão lançamentos de livros, exposições das obras do membros das academias e do bar, confraternizações e bate-papos, como num autêntico passeio à feira.




Alt e Bde

sites:
Academia de Letras de Taguatinga
e
Bar do Escritor